official-store-logo
29 reales con 93 centavos

em 12x 3 reales con 05 centavos

Anúncio pausado

Informações da loja

Rocco
Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

Características principais

Título do livroA Cidade Sitiada (EDIÇÃO COMEMORATIVA)
AutorClarice Lispector
IdiomaPortuguês
Editora do livroEDITORA ROCCO
Capa do livroMole
Ano de publicação2019
MarcaEditora Rocco

Outras características

  • Quantidade de páginas: 208

  • Altura: 210 mm

  • Largura: 140 mm

  • Peso: 221 g

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 9788532531612

Descrição

A cidade sitiada faz parte do conjunto de três romances que Clarice escreveu antes de completar 30 anos. O primeiro, Perto do coraço selvagem, foi lançado no ano em que ela se casou, 1943, o terceiro, no ano em que teve o primeiro filho, 1949. Escrita e gravidez correram em paralelo e, como Clarice relatou em carta à irm, Tania, "quando terminei o último capítulo, fui para o hospital dar à luz o menino".


Esse detalhe íntimo poderia ser supérfluo caso A cidade sitiada no estivesse to completamente entrelaçado com a vida da autora, que padecia em Berna, a mesma "solido vazia" e a mesma angustiosa melancolia que sua personagem, Lucrécia Neves, sofria no subúrbio de So Geraldo. Em outra carta, Clarice afirmou: "É ruim estar fora da terra onde a gente se criou, é horrível ouvir ao redor da gente línguas estrangeiras, tudo parece sem raiz; o motivo maior das coisas nunca se mostra a um estrangeiro, e os moradores de um lugar também nos encaram como pessoas gratuitas." Foi esse sentimento de absoluto no pertencimento, de total estranhamento e mútua desconfiança que Clarice transpôs para Lucrécia, fazendo-a to sem graça quanto as jovens suíças, "de cara séria, sem vaidade", que só conseguem ser "engraçadinhas no vero". Da mesma forma que ela metamorfoseou a bela, encantadora e quase milenar capital suíça, tombada pela Unesco, no feio, desolado, insípido e atrasado subúrbio de So Geraldo, predestinado a se tornar ainda pior à medida que o "progresso" o vai desfigurando ao final da narrativa.


Lucrécia é uma mulher mais inteligente e ambiciosa do que todos aqueles que a cercam, uma força da natureza que no aceita ser sitiada e asfixiada pela mediocridade imperante. E, como bem observou a escritora Rachel Gutiérrez: "Este livro, que Santiago Dantas considerou 'denso e fechado', é um ponto de mutaço, que já anuncia na obra de Clarice Lispector a extraordinária liberdade criativa de Laços de família e de A maç no escuro.