official-store-logo
Novo

Memórias Do Abade De Choisy Vestido De Mulher

24 reales

em 5x 5 reales con 39 centavos

Anúncio pausado

Informações da loja

Rocco
Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

Características principais

Título do livroMemórias do Abade de Choisy Vestido de Mulher
AutorLEONARDO FRÓES
IdiomaPortuguês
Editora do livroEDITORA ROCCO
Capa do livroMole
MarcaEditora Rocco

Outras características

  • Quantidade de páginas: 160

  • Gênero do livro: Biografias

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 9788532524027

Descrição

Um abade travestido, fazendo-se passar por uma grande dama e dando prazeres às suas namoradinhas em plena França do século XVII. Essas so as aventuras vividas pelo jovem François-Timoléon de Choisy (1644 - 1724) e contadas em Memórias do Abade de Choisy vestido de mulher, uma das mais conhecidas obras do autor francês, decano da Academia Francesa, à qual pertenceu por 38 anos, e que escreveu também livros de caráter religioso e histórias da realeza. Este personagem libertino e anômalo, precursor do Marques de Sade, que reconta suas memórias picantes já na terceira idade, é mais um precioso título da coleço Avis Raras, que reúne livros raros, em ediço cuidadosa da Rocco.
Em sua mocidade, Choisy viveu como madame de Sancy e condessa des Barres. Durante esse tempo, o jovem gostava de usar trajes femininos e embelezar-se. Penteados, vestidos finos, joias e maquiagem davam enorme prazer a Timoléon, que, como filho mais novo, estava destinado à vida religiosa. Ele foi nomeado abade aos 19 anos.
Quando criança, ele já era vestido como uma menina por sua me – parte por costume da época, parte por interesses de madame Choisy –, e até interferiram em seu corpo para que se formasse busto e no crescesse barba. Um hábito de infância do qual ele próprio considerava difícil de se livrar. "Eu, já de orelhas furadas, usava diamantes e pintas e todas essas afetaçõezinhas às quais a gente to facilmente se acostuma e das quais dificilmente se desfaz.”
Choisy gostava de mostrar-se em festas e eventos sociais e, sobretudo, de ser chamada de linda senhora. Além de enfeitar-se, outra distraço do abade era seduzir jovens moças a sua volta. Ele as levava para sua casa e cuidava para que as meninas ficassem à altura de sua beleza enquanto as introduzia ao sexo e ensinava-lhes algo, como penteados e atuaço teatral. Timoléon chegou a se casar com mademoiselle Charlotte, que se vestiu de noivo para a festa e só andava como um rapaz pela casa.
Em suas memórias, Choisy esclarece as razões do travestismo que o levou a tantas aventuras picantes. Ao vesti-lo como menina desde a infância, a me o teria submetido a um processo planejado de feminilizaço, para assim transformá-lo no melhor amigo do irmo mais novo de Luís XIV, que foi deliberadamente criado como mulher para no sentir qualquer atraço pelo poder ou representar qualquer ameaça à soberania dele.
Para Leonardo Fróes, que assina a traduço e o posfácio da obra, iludir os outros era o maior prazer que o travestismo dava ao abade. O dom de enganar o olhar, fazendo-se passar pelo que no era, norteava as artes plásticas da época, quando o barroco e suas tortuosas e sedutoras linhas imperavam, fazendo-se visível também no comportamento dúbio de Choisy.
Estima-se que o abade tenha revivido suas lembranças libertinas aos 80 anos, pouco antes de sua morte, ao escrever sobre sua fase de travessuras galantes, encerrada no fim de 1674, após perder tudo no jogo – vício herdado de sua me. As histórias contadas por Choisy envolvem pelos requintes de detalhes, principalmente no que se refere à maneira como arrumava a si e a suas namoradas, e ajuda a entender um pouco dos costumes do século XVII, além de antecipar comportamentos como o travestismo e o crossdresser – que, ainda hoje, so considerados transtorno de identidade de gênero por muitos.
 
Biografia de CHOISY:
François-Timoléon de Choisy, nascido em 1644, em Paris, foi decano da Academia Francesa, ao lado de confrades como La Fontaine e Racine. Nomeado abade de Saint-Seine aos 19 anos, Choisy formou-se em teologia na Sorbonne, em 1666. Após o período de aventuras travestido de mulher, em 1676, o abade vai a Roma e assessora o cardeal Bouillon na eleiço do novo papa, Inocêncio XI. Seis anos depois, ele volta a morar em Paris e publica seu primeiro trabalho literário História da Guerra da Holanda. Após adoecer gravemente e receber a extrema-unço, Choisy fica curado, se converte e vai para o seminário das Missões Estrangeiras. Em 1684, é nomeado coadjutor do embaixador de Sio. A partir de ento, ele publica uma série de livros de religio e de história até sua morte, em 1724.

Perguntas e respostas

Não fizeram nenhuma pergunta ainda.

Faça a primeira!