official-store-logo
Novo | 1 vendido

A Porta

24 reales con 50 centavos

em 5x 5 reales con 51 centavos

Anúncio pausado

Informações da loja

Rocco
Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

Características principais

Título do livroA Porta
AutorMARGARET ATWOOD
Editora do livroEDITORA ROCCO
Capa do livroMole
MarcaEDITORA ROCCO

Outras características

  • Quantidade de páginas: 128

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 9788532528070

Descrição

Mais conhecida no Brasil por sua farta e premiada produço em prosa, a canadense Margaret Atwood também maneja com maestria os versos. Em A porta, primeira coletânea de poemas da autora, ganhadora do Man Booker Prize por O assassino cego, a ganhar ediço no Brasil, ela fala sobre passagem do tempo, política, misticismo, lembranças e sobre o ofício de escrever.

A poesia é o lugar onde a autora reflete sobre sua vida com densidade, mas sem perder a ironia e a verve crítica, de quem atravessou o século XX e XXI, sintonizada com as transformações históricas contemporâneas. Com traduço de Adriana Lisboa, A porta mostra as múltiplas facetas dessa autora prolífica, de quem a Rocco já publicou quase 20 livros.

A casa de bonecas ressuscitada, que evoca lembranças da família; a sensaço de luto diante da morte dos gatos to queridos; a imagem da me definhando revelada na metáfora de um afogamento. So várias as lembranças resgatadas do esquecimento nos versos de Atwood. A autora também reflete sobre o papel da poesia e de seu criador. Ela vasculha os porquês da produço literária e lembra, para quem se aventura a escrever, que a poesia só tem sentido na simplicidade. Com sarcasmo, ela lança ao leitor os questionamentos, mas no acredita em respostas.

Em outra sequência de poemas, Atwood sustenta seu ativismo ecológico. No é o tempo o vilo e destruidor do mundo, mas o homem descuidado que se esquece dos detalhes. Já a guerra é descrita com uma fotografia. E a imagem congelada de Joana D`Arc num carto-postal instiga o leitor a procurar outras referências e olhares.

Em alguns poemas, Atwood faz referências diretas a acontecimentos marcantes. Canço do Barco, por exemplo, remete aos últimos momentos do Titanic e a famosa cena da orquestra de violinos tocando, enquanto o navio afunda. E a instalaço do artista plástico indonésio Dadang Christanto, de 1996, inspira “Eles Fornecem Provas”, uma reflexo sobre o sentido da arte e suas mensagens.

O leitor de A porta vai se emocionar com as fortes imagens criadas por Atwood. Portas se abrem e se fecham, conduzindo à plenitude, e também à inquietaço, ao desconforto e à melancolia. A porta é um convite para uma jornada poética, da qual o leitor é tratado como cúmplice.

Perguntas e respostas

Não fizeram nenhuma pergunta ainda.

Faça a primeira!