official-store-logo
Novo

Aos Sábados, Pela Manhã - Sobre Autores & Livros

36 reales con 50 centavos

em 8x 5 reales con 21 centavos

Anúncio pausado

Informações da loja

Rocco
Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

Características principais

Título do livroAos Sábados, pela Manhã - Sobre Autores & Livros
AutorSilviano Santiago
IdiomaPortuguês
Editora do livroEDITORA ROCCO
Tampa do livroMole
MarcaEDITORA ROCCO

Outras características

  • Quantidade de páginas: 320

  • Gênero do livro: Ciências Humanas e Sociais

  • Subgêneros do livro: História

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 9788532528476

Descrição

Quando o jornal O Estado de S. Paulo pôs na rua o suplemento literário Sabático, em março de 2010, apresentava também uma novidade de peso para o debate cultural no Brasil. Silviano Santiago, um dos escritores e críticos mais atuantes de nossos tempos, passaria a ter um espaço fixo na imprensa. Quinzenalmente, nos últimos anos, os leitores puderam acompanhar, na coluna, as impressões de Santiago sobre assuntos to diversos quanto a alquimia poética do Modernismo, as conferências de Claude Lévi-Strauss, a história da psicanálise, os jogos interativos e a computaço em 3D, a gênese do conceito de “subalterno”, a ento recém-lançada autobiografia da iraniana Azar Nafisi, o narcisismo em tempos digitais. So artigos criados sob a perspectiva interdisciplinar que tem marcado a produço do autor, e que promovem um raro intercâmbio entre a análise literária e os outros campos de saber. Aos sábados, pela manh reúne 71 desses textos, organizados e apresentados pelo pesquisador Frederico Coelho. Neles, Santiago “nos apresenta uma espécie de obra em progresso, em que cada sábado o crítico convida o leitor para um novo passo rumo ao risco. Risco de escrever ainda sob o calor de suas leituras. Risco de comentar em espaço mínimo eventos complexos de uma produço cultural cada vez mais emaranhada em redes de saberes e poderes. Risco, enfim, de assumir o lugar exposto de crítico do contemporâneo em um jornal de grande circulaço”, explica o organizador. E ainda mais: ao escrever para os leitores de Sabático, Santiago no é apenas o crítico rigoroso e o pesquisador astuto. É também o professor empenhado em iluminar a trajetória das ideias e histórias, o escritor obcecado pela clareza e pela elegância. Suas colunas so, simultaneamente, aulas que passeiam por temas variados – sempre desvelando a meada de múltiplas referências onde esto pousadas as ideias – e peças de raro sabor literário. Além disso, o autor possui a preciosa habilidade de passear por variados tempos e áreas de saber, num zigue-zague que captura inevitavelmente a atenço do leitor. Isso porque, em seus textos, é a aço que ilumina a teoria. O historiador de arte alemo Aby Warburg está em expediço pelo ainda selvagem sudoeste norte-americano e descobre a dança da chuva dos indígenas, onde a cascavel é, ao mesmo tempo, veneno e remédio. No início do século passado, um menino chamado Carlos Drummond de Andrade está sentado sozinho no quintal de sua casa, lendo as aventuras de Robinson Crusoé. O ano é 1977 e, em vez de chorar pela morte da me recém-falecida, Roland Barthes anota em fichas o significado do luto e sobrevive solitário no apartamento de Saint-Sulpice, em Paris. E tudo isso está ligado à forma como revisitamos a Renascença, como se construiu a indústria fílmica, como se descobre a liberdade interior. O olhar de Santiago é capaz de atribuir atualidade mesmo ao cânone mais exauridamente observado – como no artigo em que elabora uma saborosa reflexo sobre o lesbianismo na obra de Marcel Proust. Iluminar os vestígios deixados por temas da moda – caso do texto em que mostra como o badalado 2666, romance póstumo de Roberto Bolaño, representa um “novo cosmopolitismo literário”. Costurar os caminhos deixados pelo cinema, pelas artes plásticas, pela literatura e pela política – forma de percorrer os subterrâneos de nossos tempos para, com isso, elaborar um panorama realmente autêntico sobre o pensamento ocidental. Isso tudo com o jeito descontraído de quem conversa na mesa do café, nos sábados, pela manh.

Perguntas e respostas

Não fizeram nenhuma pergunta ainda.

Faça a primeira!