official-store-logo
Novo

A Arte De Comandar

20 reales con 80 centavos

em 4x 5 reales con 81 centavos

Anúncio pausado

Informações da loja

Rocco
Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

Características principais

Título do livroA Arte de Comandar
AutorFRANCESCO ALBERONI
IdiomaPortuguês
Editora do livroEDITORA ROCCO
Capa do livroMole
MarcaEditora Rocco

Outras características

  • Quantidade de páginas: 168

  • Gênero do livro: Ciências Humanas e Sociais

  • Subgêneros do livro: Psicologia

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 9788532517784

Descrição

Em tempos de guerra ou de paz, exercer o comando e tornar-se responsável por outras vidas é o maior desafio de qualquer líder. Em A arte de comandar, o autor Francesco Alberoni conta os segredos e estratégias necessárias para se tornar um chefe competente, um responsável pai de família, um eficiente dono de empresa ou um governante com fama póstuma. De líderes como Napoleo Bonaparte e Hitler, passando por empresas bem-sucedidas como a Fiat, o autor mostra os desafios que atravessam a carreira de qualquer chefe e as melhores formas de superar os problemas em A arte de comandar .
O livro de Alberoni é dividido em três partes: na primeira, o autor descreve os aspectos positivos do comando, as energias, formas e regras seguidas por quem pretende se tornar um líder; na segunda, o italiano analisa o perfil de diversos chefes e líderes de Estado e, na última, ele descreve os aspectos negativos do poder. E Alberoni adianta: "Um dos erros mais graves que um líder pode cometer é pensar que fez tudo sozinho."
Para dar um embasamento filosófico aos seus argumentos, Alberoni cita alguns autores, entre eles o sociólogo Max Weber. Para o pensador alemo, existem três tipos de poder legítimo: o tradicional, o carismático e o legal. Em A arte de comandar, Alberoni mostra os erros cometidos por quem desrespeitou essas categorias de poder. "No se levam milhões de homens à vitória e à morte se no lhes transmite uma fé, um ideal, uma segurança imensa."
Para Alberoni, o líder deve ter percepço suficiente para colocar o profissional certo no lugar correto e a sensibilidade de "nunca colocar uma pessoa inadequada numa posiço muito elevada e para a qual ela no está capacitada". Para ele, o funcionário que se vê nesta situaço acumula uma mistura de falsa humildade, inveja e ódio contra aqueles que so melhores do que ele. É o que se chama ressentimento.
A afliço e ansiedade de um líder também so questões importantes levantadas no livro, principalmente no setor privado. "Qualquer empresa, mesmo a mais nobre, mesmo a mais desinteressada, desperta sempre inveja, rancor, hostilidade, ódio." É o caso dos que dizem "sim" apenas por oportunismo e dos que se dizem amigos mas que no fundo, no fundo, nada mais so do que concorrentes.
O estadista e estrategista Napoleo Bonaparte é constantemente citado por Alberoni. Para o autor, um dos aspectos mais interessantes do líder francês é a sua capacidade de ser cuidadoso e entender o perfil de seus subordinados, reconhecendo seus sonhos, ideais, frustrações e problemas. Líderes militares – como o próprio Napoleo, ou ainda Alexandre Magno e César – que vivem no meio dos soldados conquistam a confiança e a devoço das tropas e, automaticamente, alcançam glórias e vitórias.


Perguntas e respostas

Não fizeram nenhuma pergunta ainda.

Faça a primeira!