official-store-logo
Novo

O Império Da Necessidade - Escravatura, Liberdade E Ilusão

39 reais con 60 centavos

em 6x 7 reais con 30 centavos

Envio para todo o país

Saiba os prazos de entrega e as formas de envio.

Estoque disponível

Frete grátis comprando 2 ou mais unidades

Informações da loja

Rocco

Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

  • 266

    Vendas nos últimos 60 dias

  • Presta bom atendimento

  • Entrega os produtos dentro do prazo

    Ver mais dados de RoccoAbrirá em uma nova janela

    Devolução grátis

    Você tem 30 dias a partir do recebimento do produto para devolvê-lo, não importa o motivo!

    Garantia

    Compra Garantida com o Mercado Pago

    Receba o produto que está esperando ou devolvemos o seu dinheiro

    Meios de pagamento

    Cartões de crédito

    Pague em até 6x!

    Boleto parcelado em até 12x

    Cartões de débito

    Pix

    Boleto bancário

    Características principais

    Título do livroO império da necessidade - Escravatura, liberdade e ilusão
    AutorGREG GRANDIN
    IdiomaPortuguês
    EditoraEDITORA ROCCO
    FormatoPapel
    MarcaEDITORA ROCCO

    Outras características

    • Cobertura: Mole

    • Gênero do livro: Ciências Humanas e Sociais

    • Subgêneros: História

    • Tipo de narração: Manual

    • ISBN: 9788532529435

    • Páginas: 400

    Descrição

    Em 20 de fevereiro de 1805, o capitão Amasa Delano localizou uma embarcação misteriosa perdida no mar revolto do Atlântico Sul. Navegador experiente, de família de pesqueiros da costa de Massachusetts, Delano decidiu ir até o veleiro sem bandeira para verificar se seus tripulantes precisavam de ajuda. Quando subiu a bordo do Tryal, o capitão nativo da Nova Inglaterra encontrou uma surpreendente mistura de africanos e marinheiros espanhóis e mulatos no navio comandado por Benito Cerreño.


    Durante as mais de nove horas em que esteve no Tryal, ajudando a distribuir água e comida à tripulação, Amasa Delano estranhou a movimentação dos africanos em torno de Cerreño, mas demorou a suspeitar do óbvio. Liderados por um homem mais velho chamado Babo e por seu filho Mori, os rebeldes escravos haviam tomado o controle da embarcação, mantendo o capitão espanhol como seu refém.


    As memórias de Amasa Delano, publicadas em 1817, são o ponto de partida para o historiador norte-americano Greg Grandin explorar o complexo e surpreendente comércio transatlântico de escravos, que transportou mais de 10 milhões de africanos para as Américas, entre os anos de 1514 e 1866. Especialista na história da América Central e Latina, Grandin revela, num texto instigante e envolvente, o choque de culturas, economias e religiões no Novo Mundo no início do século XIX.


    A Declaração de Independência dos Estados Unidos, em 1776, e a Revolução Francesa, em 1789, inauguraram a Era da Liberdade, que paradoxalmente, também se demonstrou a Era da Escravidão. Afinal, como aponta Greg Grandin, a liberdade almejada pelos comerciantes também era justamente a liberdade de comprar e vender africanos cativos como bens, abastecendo os mercados das Américas.


    Na época em que o capitão Amasa Delano encontrou o navio Tryal tomado pelos rebeldes africanos, havia uma explosão do tráfico de escravos no Novo Mundo, alastrada da Argentina ao Peru, que criava complexos e distintos cenários sociais. No mar, franceses e espanhóis trabalhavam ao lado de mulatos portugueses de pele escura e negros africanos e haitianos que serviam como marinheiros. Em terra, as metrópoles Espanha e Portugal não mantinham o controle efetivo da economia colonial. 


    O notório encontro de Delano com o espanhol Benito Cerreño e os africanos Babo e Mori numa embarcação à deriva no Atlântico Sul expõe um fascinante conflito de civilizações, num contexto de febre de comércio de escravos. Apoiado em intensa pesquisa, o historiador Greg Grandin reconstrói minuciosamente um cotidiano que vai muito além dos estereótipos e do senso comum sobre a escravidão.

    Leia um trecho +

    Perguntas e respostas

    Qual informação você precisa?

    Pergunte para Rocco

    Não fizeram nenhuma pergunta ainda. Faça a primeira!