official-store-logo
Novo

Notícias Em Três Linhas

44 reales con 90 centavos

em 10x 5 reales con 18 centavos

Anúncio pausado

Informações da loja

Rocco
Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

Características principais

Título do livroNotícias em três linhas
AutorFÉLIX FÉNÉON
IdiomaPortuguês
Editora do livroEDITORA ROCCO
Tampa do livroMole
MarcaEDITORA ROCCO

Outras características

  • Quantidade de páginas: 192

  • Gênero do livro: Ciências Humanas e Sociais

  • Subgêneros do livro: Comunicação

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 9788532530974

Descrição

"Cochet, nas redondezas de Bordeaux, no sabia que a espingarda estava carregada. Estava. Dois órfos.” Muito antes da invenço do Twitter, o editor e crítico de arte Félix Fénéon fez sucesso com uma coluna de pílulas noticiosas em 135 caracteres no jornal francês Le Matin. O ano era 1906, e Fénéon soube exprimir com maestria o espírito de sua época, ao contar fatos curiosos do dia a dia de Paris e de seus arredores com olhar crítico e humor cáustico. Traduzido por Marcos Siscar, em parceria com Adriano Lacerda, a partir do original francês Nouvelles en trois lignes, Notícias em três linhas revela no só a perspicácia de Fénéon e sua incrível capacidade de síntese ao narrar os acontecimentos mais comezinhos, mas também uma viso um tanto desencantada da modernidade, ao colocar em evidência principalmente o caos e a violência presentes no cotidiano parisiense no início do século XX.   Félix Fénéon (1861-1944) marcou a vida parisiense da virada do século XIX para o XX. Com forte atuaço política, foi amigo de artistas plásticos como Paul Signac e Georges Seurat, diretor da Revue Banche, prestigiosa revista de arte e literatura francesa, onde publicou nomes como o do escritor Marcel Proust. Mas foi pouco conhecido o seu talento de conciso como escritor e jornalista, capaz de transformar pequenas notícias do cotidiano em textos irônicos e refinados, em uma época em que o Twitter estava longe de ser inventado e as micronarrativas ainda no tinham se tornado tendência.   De maio a novembro de 1906, Fénéon foi redator do jornal parisiense Le Matin, onde colaborava com a coluna de atualidades “Notícias em três linhas”, composta por pequenos textos, que no passavam de 135 caracteres e tinham um estilo quase telegráfico. Tratavam de crimes passionais, acontecimentos políticos, cenas curiosas da vida privada.   Os textos no eram assinados e costumavam ser escritos por diferentes jornalistas. As contribuições de Fénéon, porém, se destacavam pelo estilo e conseguiam deixar transparecer, mesmo em trechos to reduzidos, suas posições pessoais: a simpatia pelas mobilizações sindicais e de classe, a rejeiço aos valores burgueses, o absurdo da morte. Mesmo os acontecimentos mais banais ganhavam a aparência de um haicai “Dormir no trem foi mortal para o senhor Émile Moutin,/ de Marselha. Ele se apoiava sobre a porta;/Ela se abriu, ele caiu” (p. 39).   As micronarrativas jornalísticas do crítico só se transformaram em livro em 1848, após a sua morte; até ento, permaneceram guardadas pelo autor em um caderno. Poeta e professor de Teoria da Literatura na Unicamp, Siscar, que assina o prefácio da ediço, enfatiza que as notícias escritas por Fénéon no se esgotam na sua referência factual “(...) antes, do destaque a uma viso política e quase trágica da existência”.   Notícias em três linhas faz parte da coleço Marginália, uma reunio de textos que costumam habitar as bordas do universo literário. Cartas, diários, artigos de jornal e papéis avulsos de todo tipo compõem os livros, em edições cuidadosas organizadas por críticos e pesquisadores.

Perguntas e respostas

Não fizeram nenhuma pergunta ainda.

Faça a primeira!