official-store-logo
Novo

Mar Azul

29 reales con 50 centavos

em 6x 5 reales con 55 centavos

Anúncio pausado

Informações da loja

Rocco
Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

Características principais

Título do livroMar Azul
AutorPaloma Vidal
Editora do livroEDITORA ROCCO
Capa do livroMole
MarcaEditora Rocco

Outras características

  • Quantidade de páginas: 176

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 9788532528018

Descrição

Solitária numa cidade estrangeira, uma mulher no começo da velhice se dedica a tarefas corriqueiras. Observa o voo dos pombos no pátio, frequenta a piscina, marca consultas médicas que considera cada vez mais urgentes. Mas, dentro de casa,empreende uma atividade peculiar, quase clandestina: lê os diários de seu pai.E escreve suas próprias linhas nos versos das páginas. O contato entre as duas grafias vai desvelando as pistas de uma história sempre incompleta.

Mar azul, segundo romance e quarto livro ficcional de Paloma Vidal, retoma alguns dos elementos que a consagraram como uma das vozes mais marcantes da prosa brasileira contemporânea. A memória – zona opaca de elipses e de impasses – é pedra de toque para uma trama que nunca se deixa ver por inteiro. No compasso melancólico de um cotidiano marcado pelo exílio, o passado ressurge em fiapos,peças de um quebra-cabeça naturalmente movediço, no qual os nomes de personagens e cidades, a cronologia ou os fatos no exigem evidência; em geral, no passam de insinuações.

“Istono é um diário, nem uma carta, nem uma autobiografia, nem qualquer outro modode escrita íntima. Só escrevo porque ele escreveu do outro lado”, registra aprotagonista. Escrever no verso é uma forma de estabelecer um contato noapenas com sua própria memória, mas também com a memória do pai, com as pegadasindecifráveis de sua ausência. E com um tipo muito familiar de barbárie.

A ausência e o luto, a distância e o esquecimento pairam sobre Mar azul. Apenas a água, o oceano e as lembranças de uma viagem à praia parecem um norte possível, alento para a dificuldade de fixar afetos, de decifrar as próprias dores. A solido – fruto do hábito paterno de estar sempre de partida – aproxima a protagonista de Vicky, que se tornará sua melhor amiga. É a experiência desse convívio que abre o livro, cujas primeiras páginas so tomadas por fragmentos de diálogos entre as duas, ainda adolescentes.  

So diálogos forjados pelo constante jogo de revelar e esconder, inquirir e insinuar, contornar o perigo e as ameaças secretas com um jeito ora titubeante,ora luminoso. Nesse jogo, perseguem a dúvida como elemento precioso e aflito da intimidade, enquanto refletem a identidade, marcada simultaneamente por vertigens de silêncio e ímpetos de violência, de quem foi jovem na América Latina, em algumas décadas do século passado.

Mar azul foi escrito com o apoio do Governo do Estado de So Paulo, Secretaria de Estado da Cultura – Programa de Aço Cultural – 2011.

Perguntas e respostas

Não fizeram nenhuma pergunta ainda.

Faça a primeira!