official-store-logo
Novo

O Paradoxo De Rousseau - Uma Interpretação Democrática Da

20 reais

em 4x 5 reais con 46 centavos

Envio para todo o país

Saiba os prazos de entrega e as formas de envio.

Estoque disponível

Frete grátis comprando 4 ou mais unidades

Informações da loja

Rocco

Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

  • 285

    Vendas nos últimos 60 dias

  • Presta bom atendimento

  • Entrega os produtos dentro do prazo

    Ver mais dados de RoccoAbrirá em uma nova janela

    Devolução grátis

    Você tem 30 dias a partir do recebimento do produto para devolvê-lo, não importa o motivo!

    Garantia

    Compra Garantida com o Mercado Pago

    Receba o produto que está esperando ou devolvemos o seu dinheiro

    Meios de pagamento

    Cartões de crédito

    Pague em até 4x!

    Boleto parcelado em até 12x

    Cartões de débito

    Pix

    Boleto bancário

    Características principais

    Título do livroO Paradoxo de Rousseau - Uma Interpretação Democrática da
    AutorWANDERLEY GUILHERME DOS SANTOS
    IdiomaPortuguês
    EditoraEDITORA ROCCO
    FormatoPapel
    MarcaEDITORA ROCCO

    Outras características

    • Cobertura: Mole

    • Gênero do livro: Administração e Negócios

    • Subgêneros: Marketing

    • Tipo de narração: Manual

    • ISBN: 9788532522412

    • Páginas: 168

    Descrição

    O Paradoxo de Rousseau – Uma interpretação democrática da vontade geral, novo livro do cientista político Wanderley Guilherme dos Santos, começa com um questionamento sobre a utilidade de plebiscitos e referendos em um país como o Brasil. Desconfiado da eficácia desses mecanismos, Santos defende o uso controlado das ferramentas complementares de democracia direta, boas apenas em situações de nebulosos conflitos de opinião. Nos últimos 15 anos, o Brasil passou por duas situações de consulta direta à população – a primeira, o plebiscito de 1993, tratava sobre o regime e sistema de governo brasileiro; e a segunda, o referendo de 2005, sobre a comercialização de armas e de munições.

    Em seguida, relembra para os leitores a longa marcha da democracia brasileira, citando a trajetória do voto no país e a implementação das constituições. Aproveita também para criticar uma triste realidade: apesar do texto da constituição ser o mesmo para brasileiros de Norte a Sul, a realidade mostra que nem todos os direitos têm o mesmo peso em determinadas regiões. "Nem é compatível com o estágio democrático do povo brasileiro que o direito aos serviços básicos do Estado – saúde, educação, segurança – não seja consumido na mesma proporção pelos que estão no topo e pelos que estão na base da arquitetura social." Santos reivindica o direito de participação política para todos, de forma livre e assegurada.

    O contraditório comportamento do brasileiro também é material de análise para o cientista político. A população está satisfeita com o desempenho do regime democrático do Brasil, mas ao mesmo tempo desgostosa com as instituições públicas, como polícia, sistema judiciário, parlamento e burocracia. Outro comportamento curioso envolve a alta participação eleitoral. O índice de votação é alto, mas, no intervalo entre duas eleições, parece não haver interesse dos eleitores em se relacionar com seus representantes, que ficam soltos para fazerem o que bem entenderem.

    Depois dessa ampla introdução sobre a democracia, Santos adentra nos conceitos desenvolvidos por Rousseau e aprofunda-se nos comentários sobre a vontade geral, passando pela soma de interesses e pela definição de unanimidade. "A unanimidade é o certificado da garantia de manifestações da vontade geral, o que obriga a participação de todos nas decisões, mesmo sob coação", escreve. Chega então a hora de defender a existência do paradoxo de Rousseau – e explicá-lo em detalhes – para em seguida apresentar a definição do que seria o "péssimo de Rousseau".

    Definido pelo autor como "um livro sem compromissos com as técnicas contemporâneas de artesanato acadêmico, que estão atendidas em outros volumes", O Paradoxo de Rousseau estimula o pensamento, a reflexão e discussões sobre a democracia – jovem invenção humana que se renova a cada circunstância da história.



    Perguntas e respostas

    Qual informação você precisa?

    Pergunte para Rocco

    Não fizeram nenhuma pergunta ainda. Faça a primeira!