official-store-logo
Novo

Viva O Zé Pereira!

17 reais con 60 centavos

em 3x 6 reais con 34 centavos

Envio para todo o país

Saiba os prazos de entrega e as formas de envio.

Disponível 1 dia após sua compra

Informações da loja

Rocco
Rocco

Loja oficial no Mercado Livre

Devolução grátis

Você tem 30 dias a partir do recebimento do produto para devolvê-lo, não importa o motivo!

Garantia

Compra Garantida com o Mercado Pago

Receba o produto que está esperando ou devolvemos o seu dinheiro

Garantia da loja

Garantia de fábrica: 3 meses

Meios de pagamento

Boleto parcelado em até 12x

Mercado Crédito

Cartões de crédito

Pague em até 3x!

Mastercard
Hipercard
Elo
Visa

Cartões de débito

Mastercard Débito
Elo Debito
Visa Débito

Pix

Pix

Boleto bancário

Boleto

Características principais

Título do livroViva o Zé Pereira!
AutorKAREN ACIOLY
IdiomaPortuguês
EditoraEDITORA ROCCO
FormatoPapel
MarcaEDITORA ROCCO

Outras características

  • Cobertura: Mole

  • Gênero do livro: Infantis

  • Tipo de narração: Manual

  • ISBN: 9788562500343

  • Páginas: 40

Descrição

Terceiro título da coleção Caras e Máscaras, que reúne os premiados Tuhu, o menino Villa-Lobos e Os meus balões – O incrível encontro de Júlio Verne e Santos Dumont, Viva o Zé Pereira!é mais um texto teatral da consagrada atriz e diretora Karen Acioly a chegar às livrarias, pelo selo Rocco Jovens Leitores. Depois de narrar a trajetória do maestro Villa-Lobos e de criar um encontro imaginário entre o inventor do avião e o autor de Cinco semanas num balão e outras aventuras fantásticas, no novo livro Karen conta um pouco da origem do Carnaval no Rio de Janeiro a partir da história do português José Nogueira de Azevedo Paredes.

Diz a tradição que o tal sujeito era um sapateiro português assentado na então capital da colônia em meados do século XIX. Certa feita, com saudade das festas de sua terra natal, o sapateiro saiu tocando seu bumbo pelas ruas da cidade, e acabou juntando o povo num grande festejo. Em pouco tempo, o bumbo ganhou a companhia do tambor, da caixa, da zabumba e do tamborim; o grupo virou cordão; a rima virou música; e o confete chegou para colorir ainda mais a festa. Nascia assim, em 1850, o primeiro Zé-Pereira nacional.

Segundo o músico, professor e pesquisador Oscar Bolão – que fez o papel título na peça escrita e dirigida por Karen Acioly em 1998 e assina a orelha do livro –, os chamados Zé-Pereiras são herdeiros dos grupos característicos das festas e romarias do norte de Portugal. Durante o Carnaval, “eles infernizavam as ruas com suas caixas de rufo e bombos”, e assim o termo passou a ser usado para designar qualquer tipo de folguedo popular acompanhado de zabumbas e tambores.

Mas foi em 1896, com a montagem da comédia O Zé Pereira carnavalesco, uma paródia da peça francesa Les Pompiers de Nanterre, que a tradição do Zé Pereira se tornou ainda mais popular por aqui, imortalizada na quadrinha criada por Francisco Correia Vasques, responsável pela adaptação da canção original: “Viva o Zé Pereira / Que a ninguém faz mal / E viva a bebedeira / Nos dias de Carnaval!”

Ô abre-alas que o Zé Pereira quer passar e contar essa história cheia de alegrias, ritmo e tradições para os pequenos!



Perguntas e respostas

Pergunte ao vendedor

Não fizeram nenhuma pergunta ainda.

Faça a primeira!